Terça-feira, 13 de Setembro de 2005

Bela Pescaria

Praia…16h45.
Enquanto, que para alguns a tarde era de descanso, e para aproveitar o sol intenso que se fazia sentir, para outros a tarde de trabalho estava a começar. Na areia, começavam as movimentações do tractores para rebocarem os barcos até à beira mar… Por esta altura, já, os veraneantes se começavam a aproximar dos tractores que aguardam a volta do barco que havia acabado de entrar no mar, para cumprir a sua faina diária. Lá ao longe, fora do alcance dos olhares mais entusiastas, que eram cada vez mais, as redes eram largadas e a embarcação iniciava a sua viagem de regresso a terra. Em volta dos tractores, as pessoas iam formando um semi-circulo, aguardando a chegada do barco para se dar assim, inicio à recolha das redes. No horizonte ainda nem se avistavam as bóias de sinalização das redes, mas as pessoas esperavam de forma convicta pela sua chegada, como se estas tivessem sido deixadas ali a meia dúzia de metros da costa!Que sorte em ter este bone! Deitado na toalha presencio a chegada, a passo largo, de cada vez mais curiosos com a mão na testa e com os olhos semi-cerrados para que lhes seja possível olhar para o mar, tentando vislumbrar algo. Mas, tudo o que vêem é um fenómeno natural causado pelo calor, muitas vezes, erroneamente, confundido com uma onda gigante, para a qual bastaria correr até à duna mais alta para que se escapassem dos seus efeitos devastadores. Ao ver isto, achei que o melhor mesmo era deitar a cabeça na toalha e voltar a adormecer mais um pouco…
O tempo passava e, quarenta e cinco minutos depois, continuávamos a contar com a presença de todos aqueles que ocuparam de imediato a primeira fila, como se de um concerto dos U2 se tratasse, e ainda, com mais do quíntuplo das pessoas que inicialmente se chegaram à beira mar, claro ainda com a mão na testa a servir de pala de chapéu! Naturalmente, as redes ainda não tinham chegado, o que só veio a acontecer precisamente uma hora depois do primeiro ajuntamento. À volta dos pescadores, a agitação era imensa. Os mais pequenos soltavam gritos estridentes enquanto que os mais velhos se atropelavam para conseguir um lugar com melhor visão. Tinha chegado, finalmente, a tão ansiada hora de poder ver os peixinhos a saltarem em terra seca e a largarem escamas por cima de todos os que por ali se encontram. Deixa cá ver isso! Pouca sorte… as redes vinham cheias de alforrecas, animal facilmente confundido com tubarões por parte dos mais distraídos, que todos os anos por esta altura dão à costa. Costuma dizer-se que tudo o que vem à rede é peixe, mas neste caso o ditado popular não se aplica, a não ser que infiltrado na multidão, que apreciava aquele espectáculo, se encontrasse algum dono de um restaurante de comida tradicional Tailandesa, disposto a fazer negócio. Foi ver os pescadores, agarrar naqueles animais gosmentos e gelatinosos atirando-os para a areia. Olha, tantos tubarões!Eram dezenas delas, num enorme amontoado. Os peixes, nem vê-los. E os poucos que haviam sido pescados, eram alvo das mãos alheias daqueles que já vinham munidos de sacos de plástico. Enquanto isso, ouviam-se os pescadores a dizer, em tom visivelmente irritado, para estes não os apanharem. O pouco peixe pescado e que tinha resistido aos larápios, iria então ser vendido, aqueles que ali se deslocaram com a finalidade comprar o seu jantar… Depois disso, todos começaram a dispersar, ficando na areia a imagem de um dia de trabalho.
Este é um ritual, repetido diariamente, por muitas das mesmas pessoas que ali se encontram. Será impressão minha ou já era altura de terem percebido que era escusado estarem durante cerca de uma hora com as mãos na cabeça a tentar ver alguma coisa?
publicado por Arroto Azul às 00:00
link do post | Arrotar | favorito
|

.Mais sobre mim

.pesquisar

 

.Arrotos recentes

. As leituras de Arroto Azu...

. A TODOS...

. Curso de Formação Inicial...

. Vende-se!

. Parabéns (atrasados)!

. Tens Muito Que Aprender

. Momentos

. 22 de Março - Dia Mundial...

. Pára Tudo!

. Actores Brilhantes?

.Arquivos

.Arrotos Amigos

A Mona Lisa Tinha Gases

Algures no Ribatejo

A Vidinha de Uma Gaja

Diário da Ni

Diários de Bordo

Caroxinha Perdida

Cheirinho a Alfazema

DragonGirl

Grupo Flamingo

Gatafunhos

Ideias Nulas

Mar e Areia

Palpites e Tal

Ritmos Presos

Salpicos de Luz

Suspeitas

Simplesmente Meu...

Tem Dias

The Puzzle of My Life

Teia d'Aranha

.O Meu Selo




Creative Commons License
O conteúdo deste blog está protegido por uma Licença Creative Commons.
Free Guestbooks by Bravenet.com View my Guestbook
Free Guestbooks by Bravenet.com
blogs SAPO

.subscrever feeds