Quinta-feira, 29 de Novembro de 2007

Guardas Noturnos

Apenas para enquadrar...

Aqui na rua existe uma colectividade e como toda a colectividade que se preze, esta tem os seus frequentadores habituais. Diga-se de passagem uns mais habituais do que outros! Existem aqueles que vão lá beber o seu cafezinho a seguir às refeições e que repetem este hábito todos os dias e os outros que o fazem esporadicamente. Frequentam ainda este clube os praticantes de várias modalidades e aqueles que alugam o pavilhão para as suas partidas de futsal... finalmente, existe ainda o espaço onde se joga cartas, xadrez, damas e outros jogos do género, espaço este altamente concorrido!

Ora, supostamente esta colectividade e estes espaços deveriam ser de usufruto exclusivo dos seus associados ou pelo menos estes deveriam ter regalias em relação aos restantes. Mas isso era noutros tempos... actualmente as pessoas que pagam as cotas tem tantas regalias como todas aquelas que não pagam e ainda por cima têm de se sujeitar ao mau ambiente causado por estas últimas, que regra geral são os carochos, traficantes e afins que ao longo dos últimos anos têm vindo a ganhar o seu espaço aqui na rua, parecendo mesmo que estão a tomar conta daquilo que é seu fazendo turnos nas suas vigias. Senão vejamos, durante o dia estes ou estão sentados no muro em frente ao clube, ou estão ali junto a uma das entradas (não a principal, que abre muito raramente, e que faz uma espécie de arcada, protegendo do frio, do sol e da chuva) encostados à parede a fumar umas ganzas ... à noite repete-se o mesmo ritual sendo que por vezes até estão até altas horas da madrugada com as portas dos seus carros de alta cilindrada abertas, ouvindo música cigana em alto e bom som! É claro que estes personagens são o Crème de La Crème dos já apelidados de Guardas Nocturnos .

Hoje vou dar-vos a conhecer um dos elementos desta classe dos guardas nocturnos , mas que está inserido na subclasse dos carochos.

Pois muito bem, o seu nome não faço a mais pequena ideia. Lembro-me dele desde pequeno, quando um dia fui à janela do meu quarto e o apanhei a arrancar umas flores dum canteiro ali no quintal. Corri atrás dele, mas fugiu e não voltou a entrar aqui. Os anos passaram e mais tarde juntamente com outros da sua geração, abordaram-nos, a mim e a um grupo de amigos, para nos sacar uns trocos. Como sabiam que eu era aqui da zona, acharam por bem não me fazer nada e acabaram por apenas por aviar num dos que estava comigo. Isto apesar de eu ainda ter tentado apelar à calma... no entanto rapidamente me apercebi que não devia abusar da sorte e era melhor continuar caladinho! Não tive assim mais nenhum imediato com estes "amigos" e ao longo destes últimos anos, este tornou-se num dos "guardas". De modo que passa grande parte do dia aqui na rua e como é normal acabo por me cruzar com ele várias vezes. Sempre com um olhar distante e um "Então tudo bem?" muito seco, lá acabo por cumprimentá-lo. Afinal de contas ás vezes dá jeito conhecer um dos "deles". Há uns meses atrás, o contacto foi mais intenso e quando voltava do supermercado o "mano" como ele me apelidou pediu-me uns trocos... apesar de ter dinheiro comigo, que tinha sobrado das compras, continuei a descer a rua e descaradamente disse que não tinha nada comigo! Também não chateou mais...

Pelo menos até terça feira à noite!

Pouco faltava para as dez horas da noite, quanto estava a chegar a casa. Tinha tido um teste ao final do dia e à hora que terminava já era complicado vir de transportes para casa, por isso mesmo levei o bólide.

Desde há uns tempos para cá, que este fica estacionado na garagem do prédio de Tio Neon , que é mesmo aqui na rua de baixo. Estava eu à espera que o portão da garagem abrisse, quando vindo do nada me aparece mesmo encostado ao  vidro este meu "amigo",  e já vinha com a conversa da tanga...

- "Então tá tudo bem meu?!"

Apanhado de surpresa respondi que sim...

O portão parecia não querer abrir e acabou por ser melhor assim, pois se tivesse aberto logo acho que ele ia directamente ao piso -1 ter comigo para perguntar "se estava tudo bem", o que diga-se de passagem não teria sido nada agradável...

Continuou a falar... confesso-vos que de tão apanhado de surpresa de fui nem ouvi quase nada do que ele disse. Mas também não vale muito apena ouvir o que eles têm para nos dizer pois a conversa da tanga é sempre a mesma e o objectivo é sempre arranjar uns trocos ou algo mais. Neste caso pareceu-me que ele queria era dar uma volta no carro!!!

Não tenho a certeza, mas acho que foi mesmo o que ouvi. Como é óbvio isso não poderia acontecer, não ia mesmo acontecer. E eu impulsivamente respondi logo:

- Épá não dá, agora não dá!!"

E lá continuou ele, agora fazendo-se de vítima...

-"Não dá? Mas não dá o quê? Eu tou aqui a falar bem contigo, sem problemas e tu já tás a dizer que não dá!"

Nesta altura apercebi-me que não havia muito a fazer senão ganhar tempo... à espera muito bem não sei do quê! Para isso, nada melhor do que recorrer à minha insanidade...

Comecei então a dizer:

- Épá eu estou cheio de problemas, estou aí meio desorientado, não estou com cabeça..." - Isto dito com ar de quem estava mesmo em desespero com alguma coisa grave que me tivesse realmente acontecido.

- Épá eu também tenho os meus problemas, mas tou a falar bem contigo..." - continuou ele a fazer-se de coitadinho, como se eu não tivesse já ouvido muitas vezes este tipo de conversa e não soubesse quais as suas verdadeiras intenções.

-"Pois acredito, mas é como te digo, não estou com cabeça para nada, estou mesmo aí cheio de problemas, aconteceram-me aí umas coisas e não dá, estou mesmo desorientado!" - respondi eu, aumentado o meu grau de stress e dando cada vez um ar mais pesado e mais alucinado ao meu discurso, revelando já algum desespero com o problema que eventualmente me estaria a atormentar!

A verdade é que assim como veio ter comigo, rapidamente se desmarcou, indo embora a resmungar sozinho! Ainda pensei que esperasse que entrasse na garagem e fosse novamente ter comigo... a verdade é que esperei e felizmente não aconteceu!

Entretanto tive de fazer um telefonemazito para casa, pois reforços nunca são de mais e era uma boa avisar que estava sozinho na garagem. O gajo é capaz de se ter apercebido disso, já que depois de ter estacionado o carro e ter fechado a garagem, subi então a rua e já estava ele e mais dois dos seus colegas no seu posto de trabalho, mesmo ao lado da minha casa e é capaz de ter dado conta que o meu Pai estava ao portão!

É triste, mas a verdade é que não estamos descansados em lado nenhum, nem mesmo à porta de casa...

Não voltei a revê-lo até esta hora... espero não ter que dar continuidade a esta história!
sinto-me: Insano
publicado por Arroto Azul às 20:15
link do post | Arrotar | favorito
|
11 comentários:
De Lil a 30 de Novembro de 2007 às 10:26
fizeste bem... eu nao sei se teria essa ideia de passar por desorientada... na verdade eu sou desorientada mas nao sei se pegava ;)
bjus
De Arroto Azul a 30 de Novembro de 2007 às 21:09
Pois parece que tive sorte... ao longo dos tempos parece que ela me tem acompanhado neste tipo de situações mais complicadas!

UFA!
De Mia a 30 de Novembro de 2007 às 15:00
foi uma boa opção... ao menos chegaste bem a casa. Infelizmente a segurança cada vez está mais reduzida. Eu ainda não tenho problemas na minha rua, mas no meu bairro já começa a juntar-se um grupinho que à noite fuma umas coisas engraçadas. Eles não se metem comigo, têem muito respeitinho ao meu marido e sabem que se meterem com a menina as coisas podem dar para o torto.hihihihi se há dias que detesto que as pessoas me reconheçam pelo facto de ser a mulher do F.... há outros dias que adoro! Vai-se lá entender !!!
bjokinha
De Arroto Azul a 30 de Novembro de 2007 às 21:13
Pois... Geralmente aos da rua eles não costumam fazer nada, mas com aquela gente nunca é de fiar! Acabei por ter sorte...

Da maneira que isto está, mesmo que alguém veja alguma coisa nem se mete pois sabe que ainda pode sobrar para ela...
De Ana_v a 30 de Novembro de 2007 às 17:31
Isto está cada vez pior. Até na minha santa terrinha que era tão sossegada já começou a haver porcaria. Há uns dias um gajo saiu do carro e pôs-se a correr atrás de uma rapariga que eu conheço para ver se a agarrava...
De Arroto Azul a 30 de Novembro de 2007 às 21:15
Realmente há cada situação mais estranha! É preciso ter muito cuidado, pois a verdade é que muitas das vezes que precisamos não está ninguém para garantir a nossa segurança!

É uma questão de sorte...
De A Mona Lisa tinha Gases a 30 de Novembro de 2007 às 21:30
"Afinal de contas ás vezes dá jeito conhecer um dos "deles"." LOL
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

"Afinal de contas ás vezes dá jeito conhecer um dos "deles"." LOL <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Opá</A> eu sei que não era para rir mas fartei-me de rir. A conversa é sempre a mesma. Reconhece-se à distância. Será que há um curso de formação para carochos?! <BR>Eu, cada vez que me pedem trocos, a resposta é sempre a mesma. Sou pobre! LOL E acabou a conversa! Tenho tido uma sorte do caraças, porque respondo-lhes quase sempre torto... Da próxima também tento fazer um ar alucinado. Nunca tinha pensado nisso mas é capaz de resultar. Há uns tempos, li num sítio qualquer que um gajo conhecido fez-se de maluco para não ser assaltado. E resultou!
De Arroto Azul a 4 de Dezembro de 2007 às 22:52
Acredito que te tenha dado vontade de rir... até a mim já deu!

Fazem-se sempre passar por grandes amigos e que vêm sempre com as melhores das intenções! EHEH ! Espertos...

A ver se a moda de nos fazermos passar por doidos não pega... caso contrário deixa de resultar!
De Andreiazinha a 1 de Dezembro de 2007 às 16:19
Pois, infelismente eles estão por todo o lado! Não podemos de forma alguma mostrar medo deles, mesmo quando nos pedem um moeda "uma ajuda" ... eu não dou! tenho como principio que não dou!
Mas mostram má cara e dizem que devemos ter cuidado por onde andamos (já me aconteceu) mas embora apavorada, nunca mostro receio.
O pior disto tudo... é que tenho um filho com 9 anos... e o futuro ... esse sim mete medo! assusta-me o que nos espera o futuro.

um abraço da troll
De Arroto Azul a 4 de Dezembro de 2007 às 22:53
Eu também não dou nada...

O problema é que nós nunca sabemos o que vai naquelas cabecinhas! É preciso ter muito cuidado e ás vezes vale mais não sermos heróis!
De shadows in love a 7 de Dezembro de 2007 às 17:37
REalmente hoje em dia não se está bem em lado algum, aparecem sempre parasitas por todos os lados...

Arrotar post

.Mais sobre mim

.pesquisar

 

.Arrotos recentes

. As leituras de Arroto Azu...

. A TODOS...

. Curso de Formação Inicial...

. Vende-se!

. Parabéns (atrasados)!

. Tens Muito Que Aprender

. Momentos

. 22 de Março - Dia Mundial...

. Pára Tudo!

. Actores Brilhantes?

.Arquivos

.Arrotos Amigos

A Mona Lisa Tinha Gases

Algures no Ribatejo

A Vidinha de Uma Gaja

Diário da Ni

Diários de Bordo

Caroxinha Perdida

Cheirinho a Alfazema

DragonGirl

Grupo Flamingo

Gatafunhos

Ideias Nulas

Mar e Areia

Palpites e Tal

Ritmos Presos

Salpicos de Luz

Suspeitas

Simplesmente Meu...

Tem Dias

The Puzzle of My Life

Teia d'Aranha

.O Meu Selo




Creative Commons License
O conteúdo deste blog está protegido por uma Licença Creative Commons.
Free Guestbooks by Bravenet.com View my Guestbook
Free Guestbooks by Bravenet.com
blogs SAPO

.subscrever feeds