Sábado, 25 de Abril de 2009

Recordar 25 de Abril de 1974

Hoje quando acordei, fiz o meu zapping matinal. Passei pela RTP Memória e por ali fiquei.

 

Imagem a preto e branco. Na realidade, mais preto que branco. O programa datava de 28 de Abril de 1974, precisamente 3 dias depois da Revolução dos Cravos.

 

Falava Carlos Carvalhas, as suas feições não se alteraram muito desde então. Era perfeitamente reconhecível. Mesmo que não fosse, o prolongar dos "ssssssssssss" no final das frases acabaria por denunciar a sua identidade. Tecia algumas considerações sobre a economia nacional da altura, referindo que "o Estado, por cada 100 escudos que gastava, 52 eram para investir em segurança...". Engraçado, no mínimo, ouvir falar desses números...

 

O plano da imagem abriu. Deu para ver a maioria dos convidados, que se encontravam em pé. Uns tantos virados de frente para a câmara de filmar, os restantes do outro lado de uma mesa, virados de costas. Não foi fácil ver as suas caras! Duas das mulheres estavam sentadas. Alguns deles, fumavam o seu cigarro. Com a descontracção de quem está num café, numa amena cavaqueira com os amigos. 

 

Voltaram a apertar o plano. Desta vez sobre o apresentador. Viu-se uma nuvem de fumo a passar em frente à sua cara. Foi uma das senhoras que estava a fumar. Foi engraçado! Genuíno, quer dizer. Talvez próprio de quem gozava os primeiros dias de liberdade. Talvez, não sei...

 

Reconheci mais um ou dois convidados, que eram do mundo televisivo. Baptista Bastos e uma Senhora, cujo nome até agora não me lembro, mas que costuma fazer voz off nalguns programas sobre Natureza e História. Outros talvez nem fossem conhecidos... Um Mecânico, um Engenheiro agrónomo, o Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e outros que continuei sem saber quem eram, quem são.

Pelo meio falou Baptista Bastos. Não me recordo muito bem o que disse! Mea Culpa! A verdade é que estava deliciado com o facto de apenas se conseguir ver metade da sua cara durante boa parte do tempo. O tripé não devia rodar mais... Lá se aperceberam e mudaram de câmara!

 

O Engenheiro Agrónomo relatou que nesse período fez uma viagem a França, de comboio. Nela encontrou um aspecto negativo, o grande número de portugueses que emigrou em busca de uma vida melhor. Apesar disso pode ver um aspecto positivo, já que eram muitos os portugueses que regressaram com ele, ansiosos por reencontrar as suas famílias e esperançosos que um dia iriam encontrar na sua Pátria melhores condições de vida.

O senhor que era Mecânico confessou que em determinado momento, esteve de malas aviadas, juntamente com 10 amigos seus, para rumarem até à Alemanha, ideia essa que acabaram por abandonar pois acreditavam que a situação se ia alterar e as coisas iam melhorar.

35 anos passaram...

Todos os dias quando folheamos as páginas do jornais ou vemos um noticário damos conta de mais despedimentos no nosso país. Quando falamos com um amigo, ficamos a saber que alguém está a pensar ou acabou mesmo por sair do país à procura de uma vida melhor!

35 anos...

Talvez nesse aspecto não tenha mudado assim tanta coisa. Até a esperança de que um dia as coisas vão mudar, mesmo ela continua a estar presente nos nossos pensamentos!

Apesar de tudo isso, a realidade é que se não tivessem existido pessoas capazes de concretizar a Revolução de Abril, o mais certo era eu não poder estar aqui a escrever o que me vai na cabeça, de um modo livre, sem medo do que me poderá acontecer se disser algo que possa não agradar a alguém.

Por tudo isso e prestanto uma homenagem a todos os que tornaram isto possível, aqui o Arroto Azul grita de peito cheio, um valente...

VIVA A LIBERDADE!!

 

 

P.S.1: A sério que gostei de ver estes momentos do programa. Consegui sentir a leveza de todas aquelas pessoas. Ainda que um pouco contida. Natural. Estavam ainda a adaptar-se a uma nova realizade. Nos seus olhares senti a esperança e a força necessárias para continuar...

P.S.2: Tinha de colocar esta imagem no post. É a primeira imagem relacionada com o 25 de Abril de 1974 que tenho memória. Apareceu num livro da escola, nunca a esqueci. Tenho a vaga redordação de também a ter utilizado num trabalho escolar que fiz alguns anos mais tarde.

P.S.3: A propósito de liberdade... há pouco lembrei-me de como seria engraçado ver o Sócrates, numa prisão, todo nú, no banho, a apanhar sabonetes do chão!

sinto-me: Livre
publicado por Arroto Azul às 22:18
link do post | Arrotar | favorito
|
3 comentários:
De Maria a 27 de Abril de 2009 às 21:13
LOL

Adorei o PS3!!!!! Excelente imagem!!
De Arroto Azul a 1 de Maio de 2009 às 11:03
É uma imagem capaz de alegrar qualquer um não é?
De deirdre a 1 de Maio de 2009 às 18:52
Oh dear...o Sócrates nu...

p.s. Lê O Segredo... mesmo que não acredites, podes sempre fingir que sim...e pode ser que as coisas realmente aconteçam. Mas olha o que é certo é que começas a reparar em certas coincidências...

Arrotar post

.Mais sobre mim

.pesquisar

 

.Arrotos recentes

. As leituras de Arroto Azu...

. A TODOS...

. Curso de Formação Inicial...

. Vende-se!

. Parabéns (atrasados)!

. Tens Muito Que Aprender

. Momentos

. 22 de Março - Dia Mundial...

. Pára Tudo!

. Actores Brilhantes?

.Arquivos

.Arrotos Amigos

A Mona Lisa Tinha Gases

Algures no Ribatejo

A Vidinha de Uma Gaja

Diário da Ni

Diários de Bordo

Caroxinha Perdida

Cheirinho a Alfazema

DragonGirl

Grupo Flamingo

Gatafunhos

Ideias Nulas

Mar e Areia

Palpites e Tal

Ritmos Presos

Salpicos de Luz

Suspeitas

Simplesmente Meu...

Tem Dias

The Puzzle of My Life

Teia d'Aranha

.O Meu Selo




Creative Commons License
O conteúdo deste blog está protegido por uma Licença Creative Commons.
Free Guestbooks by Bravenet.com View my Guestbook
Free Guestbooks by Bravenet.com
blogs SAPO

.subscrever feeds